Imagem João Domingos
Colunista
João Domingos
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Ministros do STF criticam manutenção de mandato de Donadon

Ministro Marco Aurélio Mello disse, em tom de deboche, que 'os reeducandos da Papuda estão homenageados com a presença de um deputado federal'

João Domingos, Agência Estado

29 de agosto de 2013 | 19h48

Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) reagiram com perplexidade e críticas nesta quinta-feira, 29, à manutenção do mandato do deputado federal Natan Donadon (sem-partido-RO), que está preso no Complexo Presidiário da Papuda, no Distrito Federal, condenado pela Corte a mais de 13 anos de reclusão por crimes de peculato e formação de quadrilha.

Em tom de deboche, o ministro Marco Aurélio Mello afirmou: "Os reeducandos da Papuda estão homenageados com a presença de um deputado federal". E acrescentou: "Quem sabe na Papuda ele tenha um tratamento especial".

O ministro Gilmar Mendes disse que a não-cassação é constrangedora e inconstitucional, uma vez que a condenação cessou os direitos políticos de Donadon.

Donadon conseguiu escapar da degola depois de votação secreta pela cassação de seu mandato nesa quarta-feira, 28.

'Legislação cumprida'. A ministra Cármen Lúcia, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), disse que "pela norma em vigor, a legislação foi cumprida", disse Cármen Lúcia. Ela afirmou que ao Supremo compete julgar e ao Congresso decidir a respeito da manutenção ou não do mandato. "Se o resultado é benéfico ou não, aí compete ao próprio povo depois verificar. Mas a Câmara cumpriu a competência dela", disse a ministra.

Cármen Lúcia disse ainda que a decisão da Câmara em nenhum momento afrontou o Supremo. "O Congresso tem sido respeitoso com o Supremo, cumprindo todas as decisões do Supremo. Nós tomamos nossa decisão e eles tomam a deles."

A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Cármen Lúcia, disse que a decisão da Câmara de livrar o deputado poderá se repetir quando a Casa decidir a situação dos quatro deputados mensaleiros. "Pode ser. Mas aí eu respeito a decisão que vier do Congresso", afirmou ela.

Tudo o que sabemos sobre:
DonadoncassaçãoSTF

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.