Ed Ferreira/AE
Ed Ferreira/AE

Ministros do STF começam a votar no julgamento do mensalão

O julgamento da Ação Penal 470, conhecida como o processo do mensalão, entra em seu 11º dia com o início dos votos dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). O ministro Carlos Ayres Britto abriu a sessão por volta das 14h45.

de O Estado de S. Paulo

16 de agosto de 2012 | 15h04

Na sessão desta quinta-feira, pela ordem, o primeiro a proferir a decisão é o relator da ação, o ministro Joaquim Barbosa. Seu voto tem 1 mil páginas e a leitura deve levar três dias para ser concluída.

Depois votam Ricardo Lewandowski, Rosa Weber, Luiz Fux, Dias Toffolli, Cármen Lúcia, Cezar Peluso, Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello, Celso de Mello e Carlos Ayres Britto. Ainda é dúvida se o ministro Cezar Peluso participará da votação, já que ele se aposenta compulsoriamente em 3 de setembro, quando completa 70 anos. A Corte deve discutir se haverá mudanças no rito para garantir sua participação.

Mudanças de plano. Havia expectativa de que o voto de Joaquim Barbosa começasse a ser lido nessa quarta, mas a Corte optou por concluir questões levantadas pelos advogados durante as defesas dos envolvidos no processo.

Sob o argumento de organizar a votação dos crimes atribuídos aos réus, Barbosa deve propor que os casos sejam analisados por núcleos, da mesma maneira que a Procuradoria-Geral da República repartiu sua denúncia. Ou seja, primeiro seriam analisados os casos do núcleo político - que inclui José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares -, depois, o núcleo operacional - comandado por Marcos Valério -, e assim por diante.

A proposta deve sofrer resistência porque pode atrasar ainda mais a conclusão do julgamento - haveria, na prática, "minijulgamentos" para cada núcleo e Peluzo poderia sair antes de dar seu voto, embora possa anunciar de fora antecipada sua decisão sobre figuras centrais do escândalo, como Dirceu.

Tudo o que sabemos sobre:
mensalaojulgamentoSTF

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.