Ministros articulam no Congresso almoço de PMDB com Lula

Os dois ministros do PMDB - Amir Lando, da Previdência, e Eunício Oliveira, das Comunicações - articulam nesta terça-feira no Congresso o comparecimento do maior número possível de deputados do partido ao almoço marcado para esta quarta-feira com o presidente Lula. A bancada do partido na Câmara tem 76 deputados, e a preocupação da cúpula governista do partido é garantir a presença de pelo menos 40 deles ao encontro com o presidente. O sucesso do almoço com Lula é fundamental para a operação de desmonte da convenção nacional do PMDB marcada para o dia 12 para decidir se o partido deve ou não romper com o governo. "É preciso fazer algo para que essa convenção do dia 12 não rache o partido. Convenção para dividir não é lógico", afirmou Eunício. Apesar do temor da divisão, ele afirmou não ter dúvidas de que a ala governista é majoritária no PMDB, tanto nas bancadas do Senado e da Câmara como na Executiva Nacional e nos diretórios estaduais do partido. O ministro Amir Lando também aposta que a decisão de ajudar o governo e permanecer no trabalho de apoiá-la vai permanecer. Ele disse que o PMDB "não vai fugir à sua responsabilidade pública de ajudar um governo que tem compromisso social". Os dois ministros se reuniram na Liderança do PMDB, ajudando o líder do partido na Câmara, deputado José Borba (PR), a arregimentar deputados para o almoço de amanhã. Borba deixou clara sua convicção de que não só a bancada como os novos prefeitos e vereadores do PMDB têm esperança no governo federal e que o espaço ocupado hoje pelo partido no governo precisa ser ampliado. "Tanto o espaço não é satisfatório que estamos trabalhando para ampliá-lo", resumiu o líder. O almoço desta quarta com Lula será na casa do ministro Eunício Oliveira, que aproveitou sua passagem pelo Congresso, na tarde desta terça-feira, e estendeu o convite aos líderes do PT no Senado, senador Aloizio Mercadante (SP), e na Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (SP), e ao líder do governo na Câmara, deputado Professor Luizinho (SP).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.