Ministro vê "pavor da derrota" em ação do PSDB contra Marta

O ministro da Educação, Tarso Genro, classificou como "pavor da derrota" a decisão do PSDB de ingressar com representação na Justiça Eleitoral pedindo a cassação da candidatura de Marta Suplicy (PT) à prefeitura de São Paulo. Os tucanos argumentam que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva cometeu crime eleitoral ao pedir votos para Marta na inauguração da primeira etapa do prolongamento da Avenida Radial Leste, na zona leste. "É o pavor da derrota", disse Genro, que, ao lado da prefeita, visitou nesta tarde as obras da Faculdade Paulistana de Saúde Pública e o Centro Educacional Unificado (CEU) Inácio Monteiro, em Cidade Tiradentes, zona leste."Nossos adversários podem ver o que quiserem, mas isso é um exercício de função pública, é solidariedade com um trabalho exemplar", justificou Genro ao comentar a participação de Lula e demais ministros do governo federal na campanha municipal em São Paulo. "É uma coisa que eu fiz em toda a minha vida e não vai ser por motivos eleitorais que vou deixar de fazer", disse.O ministro afirmou que a sua vinda a São Paulo para encontros com a prefeita não é ato eleitoral. "Não é um ato de campanha eleitoral em absoluto", comentou, acrescentando que o projeto Centro Educacional Unificado (CEU) é referência para a educação no País. Genro argumentou ainda que ele, por ser ministro da Educação, está ligado tanto ao projeto da Faculdade quanto ao do CEU.O ministro e Marta ficaram exatos cinco minutos vistoriando as obras da Faculdade. Marta justificou a pressa: "Isso aqui é só prédio e as crianças do CEU saem às 17horas". Já no CEU, o ministro e a prefeita ficaram por cerca de 45 minutos. Eles visitaram salas de aula, teatro e o ginásio esportivo da unidade, que estava repleta de alunos e pais que festejavam a ida de Marta ao local.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.