Ministro recua em previsão de 49 votos

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, apressou-se ontem a negar que tenha afirmado, na reunião do Conselho Político, anteontem, que o governo já conta com 49 votos a favor da prorrogação da CPMF. Mantega temia as repercussões negativas que seu comentário poderia provocar nos líderes tucanos, com os quais almoçou ontem no Ministério da Fazenda.Apesar do recuo do ministro, já se falava ontem que 51 senadores deverão votar a favor da proposta. Se os números estiverem corretos, o governo já teria garantido dois votos a mais que o mínimo necessário para aprovar a emenda - 49, nos dois turnos.O governo tem alguns dissidentes em sua base de 53 senadores - entre eles, Mão Santa (PMDB-PI) -, mas acha que, além de conquistar parte do PSDB, terá votos no DEM. O partido, no entanto, fechou questão contra a prorrogação da CPMF. Com base nessa decisão, pode até expulsar infiéis.Um dos senadores do DEM que tenderiam a votar com o governo seria Rosalba Chiarlini (RN), médica. Ela já se manifestou favorável à prorrogação do imposto do cheque. O recuo de Mantega, porém, atiçou os brios da oposição. "Não sei por que conversam com a gente. É uma técnica primitiva de negociação alardear os votos que não tem", reagiu o senador Sérgio Guerra (PSDB-PE). JOÃO DOMINGOS, COLABOROU CHRISTIANE SAMARCO

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.