Ministro pede combate à falsificação de produtos baratos

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, defendeu, na abertura da 6ª reunião ordinária do Comitê Interministerial de Combate à Pirataria, o combate a pequenos crimes, como o de falsificação de bens baratos. Ele afirmou que, além de resultados imediatos, a estratégia pode ser eficaz na prevenção do crime organizado. "Sabemos que, depois dos pequenos delitos surgem crimes mais pesados e, por fim, o crime organizado", afirmou o ministro. "Estamos criando um cerco contra o crime. Para isso, temos de tomar todas as providências, em todos os terrenos."Criado em março, o Comitê Interministerial de Combate à Pirataria pretende fazer campanhas educativas sobre os danos causados pelo uso de produtos falsificados. O presidente do comitê, delegado da Polícia Federal Clóvis da Silva Monteiro, afirmou que um vídeo está em fase final de produção e será exibido em sistemas de televisão de aeroportos e terminais rodoviários. A campanha nacional deverá começar por Brasília e contará também com cartazes e faixas. Estimativas mostram que os danos causados a pirataria na indústria audivovisual chegam a US$ 120 milhões anuais. Segundo a Associação de Defesa da Propriedade Intelectual, aproximadamente 35% do mercado audiovisual é dominado por produtos falsificados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.