Ministro pede cautela ao Congresso com o aumento de receitas do Orçamento

Gilberto Carvalho afirma que proposta dos gastos da União em 2012 deve considerar crise financeira internacional; senador apresentou previsão com R$ 25,6 bi a mais do que a prevista pelo governo

Andrea Jubé, da Agência Estado

13 de outubro de 2011 | 14h06

BRASÍLIA - O ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, recomendou cautela ao Congresso na elaboração do Orçamento da União para 2012. O relatório de receitas do senador Acir Gurgacz (PDT-RO), divulgado na última terça-feira, prevê um aumento de R$ 25,6 bilhões da receita líquida, ante a previsão feita pelo Executivo.

"Temos que ter cuidado de ver até que ponto esse Orçamento vai de fato se realizar", alertou Carvalho nesta quinta-feira, 13. "Qualquer referência ao Orçamento do ano que vem tem que ser muito cuidadosa. Nós respeitamos a posição do Legislativo, do relator, mas temos que ter muito cuidado frente à crise financeira internacional", afirmou o ministro, ao deixar o fórum de debates no Interlegis sobre o Plano Plurianual (PPA).

Carvalho acrescentou que o governo continuará praticando "uma política de responsabilidade fiscal combinada com a política de responsabilidade social". E reafirmou que o governo está cauteloso com os desdobramentos da crise internacional, que tem repercussão sobre o Brasil.

Ao justificar a elevação da receita líquida, Acir Gurgacz afirmou que esse aumento poderá ser usado pelo relator geral, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), e pelos relatores setoriais para atender às demandas como emendas parlamentares e até aumentos salariais, como a reivindicação do Poder Judiciário.

Tudo o que sabemos sobre:
orçamentoaumentoCongresso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.