Ministro nega que tenha recebido ligações de investigada pela PF

Apurações indicaram que a ex-chefe de gabinete da Presidência em SP teria procurado por Gilberto Carvalho e por Dirceu após ação policial em sua casa

Agência Estado

28 de novembro de 2012 | 13h57

O ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência da República, negou na manhã desta quarta-feira, 28, que tenha recebido ligações de Rosemary Nóvoa de Noronha, investigada pela Polícia Federal (PF). A ex-chefe de gabinete do escritório da Presidência em São Paulo teve o nome envolvido no suposto esquema  de venda de pareceres técnicos em órgãos federais para favorecer interesses privados. As apurações indicavam Rose, como é conhecida, teria ligado para o ministro após a ação da PF em sua residência. Ela também teria ligado para o ex-ministro José Dirceu.

"Ela não ligou para mim no dia da operação, não sei quem disse isso", afirmou Gilberto Carvalho, durante um encontro da organização da Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro. Carvalho evitou responder à imprensa sobre as investigações da PF e disse apenas que "estava dispensado" de falar sobre o tema, uma vez que o porta-voz da presidência é responsável pelo posicionamento do governo.

Rosemary Noronha é acusada de comandar um esquema de corrupção juntamente com José Weber de Holanda, adjunto da Advocacia Geral da União (AGU). Eles foram demitidos após a divulgação das investigações, que indicam troca de favores e favorecimento em pareceres técnicos de agências reguladoras do governo federal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.