Ministro fala em intervir nos planos de saúde

O ministro da Saúde, Humberto Costa, disse hoje que o ministério não descarta a possibilidade de intervenção nas operadoras de planos de saúde caso haja reajustes abusivos nas mensalidades. "Se for preciso chegar à intervenção e até mesmo a uma situação que não queremos que aconteça, poderemos até tirá-las do mercado", afirmou. Segundo ele, o entendimento do governo é que não se pode "impor" reajuste superior a 11,75%, inclusive para os contratos antigos. "Vamos até as últimas conseqüências para fazer valer os 11,75%."Costa disse que o ministério e a Agência Nacional de Saúde (ANS) estão discutindo uma legislação a ser enviada ao Congresso Nacional. Ele disse que um dos pontos discutidos é o fim da carência para as pessoas que pretendem mudar de empresa. "Isso permitiria grande concorrência no mercado, porque os preços se reduziriam e as operadoras ficariam interessadas em melhorar a qualidade", afirmou.O ministro evitou falar sobre a anulação de um pregão para aquisição de veículos de atendimento pré-hospitalar para implementação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) "por vícios de legalidade constatados no processo licitatório". A assessoria do Ministério informou que uma nota está sendo preparada pelo ministério. Costa esteve em Curitiba para a entrega de 24 ambulâncias do Samu às prefeituras de Curitiba e São José dos Pinhais. Segundo ele, até agora 92 prefeituras contam com o serviço.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.