Ministro e ex-secretária devem depor no Senado

A Comissão de Fiscalização e Controle do Senado aprovou a convocação do ministro da Previdência, Roberto Brant, e da ex-secretária de Previdência Complementar, Solange Paiva Vieira. Os senadores querem explicações sobre a polêmica que envolve os fundos de pensão, que levou à demissão de Solange, no início da semana. Hoje, antes de saber da convocação, Brant fez questão de tranqüilizar o mercado, saindo em defesa dos fundos. "Este não é um setor maldito da economia brasileira. É um setor virtuoso da economia, que devemos apoiar e fortalecer", disse ele, ao explicar que Solange saiu por divergir de seu método de trabalho. A gota d?água para a demissão de Solange foi a decisão da secretária de manter, na página da Previdência na Internet, informações sobre a saúde financeira dos fundos de pensão. Brant achava que esse assunto tinha que ser discutido com discrição. "Só o tempo vai dizer quem estava com a razão", comentou ele, tentando amenizar a polêmica. Brant salientou, ainda, que Solange não lhe revelou que estava fazendo investigações nos fundos. Mas ele fez questão de garantir que todas as fiscalizações em andamento terão curso normal. Brant negou que ela tenha sido afastada por pressão política dos fundos. "Fundo não tem força política nenhuma", garantiu o ministro, depois de defender um "aprofundamento do diálogo" com estas instituições. Mas advertiu: "Toda vez que houver desvio de caminho por parte de algum fundo, devemos intervir e assim faremos". Somente em agosto serão marcadas as datas em que o ministro e Solange deverão comparecer ao Congresso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.