Ministro é a arma do governo para adiar CPI do Banestado

O governo está articulando uma reunião para amanhã à tarde entre os líderes de todos os partidos na Câmara e o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, numa tentativa de suspender o início dos trabalhos da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Banestado. Na reunião, o governo pretende convencer os líderes a adiar o funcionamento da CPI até que a força-tarefa, formada pela Polícia Federal e Ministério Público, conclua as investigações sobre o evasão de US$ 30 bilhões por meio das contas CC-5, boa parte pela agência do Banestado em Nova Yorque. O governo vai argumentar que as apurações estão avançadas, relatando o que está sendo investigado e a metodologia dos trabalhos, e ressaltar que a CPI poderá atrapalhar o andamento das investigações. O governo teme que o funcionamento da CPI tumultue a tramitação das propostas de reforma da Previdência e tributária.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.