Ministro dos Transportes abre sindicância para apurar denúncias

Alfredo Nascimento também encaminhou ao CGU pedido de instauração de auditoria

Karla Mendes e Denise Madueño, da Agência Estado

04 de julho de 2011 | 19h50

BRASÍLIA - O ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, divulgou nesta segunda-feira, 4, nota na qual informa que foi instituída uma comissão de sindicância investigativa para apurar as supostas irregularidades na pasta, denunciadas pela revista Veja no fim de semana. A decisão será publicada amanhã no Diário Oficial da União por meio da portaria 154. Foi estabelecido o prazo de 30 dias para a conclusão da investigação. Para a condução dos trabalhos da comissão foram designados três servidores.

Reportagem publicada pela revista Veja revela o funcionamento de um esquema montado nos Transportes baseado na cobrança de propinas de 4% das empreiteiras e de 5% das empresas de consultoria que elaboram os projetos de obras em rodovias e ferrovias. A maior parte dos desvios, segundo a Veja, ia para o PR, partido presidido pelo ministro Alfredo Nascimento, e uma parcela era distribuída aos parlamentares dos Estados onde a obra era realizada.

Nascimento informou também que encaminhou ao ministro Jorge Hage, da Controladoria-Geral da União (CGU), um pedido de instauração de auditoria nos contratos mencionados na reportagem. O pedido foi enviado por meio do aviso 089. Em outro aviso, sob o número 1238, Nascimento pede ao presidente do Conselho de Administração da Valec que delibere sobre o afastamento preventivo do diretor-presidente da companhia, José Francisco das Neves, até a conclusão das investigações.

O ministro dos Transportes também se colocou à disposição do Congresso Nacional para prestar os esclarecimentos sobre o caso e informou que a execução das obras em questão seguirá o curso normal. Nesta segunda-feira, 4, Nascimento recebeu parlamentares do PR para esclarecer o caso e obter apoio. A reunião está sendo realizada na sede do ministério.

 

Substitutos. O Ministério dos Transportes anunciou que Felipe Sanches, atual diretor financeiro da Valec, vai acumular a presidência da empresa durante o afastamento de Neves do cargo. Foi anunciado também que o diretor executivo do DNIT, José Enrique Sadok, assumirá a diretoria geral do órgão, substituindo Antônio Pagot. Por fim, Wilson Wolter Filho, assessor especial do ministro dos Transportes, torna-se chefe de gabinete, no lugar de Mauro Barbosa Silva. Todos eles foram afastados dos cargos após denúncias de corrupção envolvendo a Pasta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.