Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

'Ministro do Turismo já deveria ter sido afastado', diz Janaína Paschoal

Deputada mais votada do PSL afirma que permanência de Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG) 'compromete' todo o governo

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

08 de março de 2019 | 15h52

Em campanha para a presidência da Assembleia Legislativa de São Paulo, a deputada Janaína Paschoal (PSL) defende que o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG) deixe o cargo devido às suspeitas de direcionamento de verbas de campanha a candidatas suspeitas de serem laranjas.

“Entendo que ele já deveria ter sido afastado. O ministro tem todo direito de se defender, mas a manutenção dele no Ministério está comprometendo todo o governo”, disse Janaína ao Estadão/Broadcast.

Em 4 de fevereiro, uma reportagem do jornal Folha de S.Paulo apontou que o ministro, que era presidente estadual do PSL em Minas Gerais, direcionou verbas de campanha a quatro candidatas no Estado que são suspeitas de serem laranjas.

Ex-candidata a deputada estadual, Cleuzenir Barbosa declarou ao Jornal Nacional que assessores de Marcelo Álvaro Antônio pediram que ela transferisse para empresas dinheiro público de campanha. O caso está sendo investigado pelo Ministério Público de MG. 

“Não quero antecipar culpa, mas é impossível negar a consistência dos depoimentos das mulheres. O presidente diz que, em quatro anos, quer ver as mulheres mais representadas. Ele poderia começar ouvindo as que confiaram no seu partido e, ao que tudo indica, foram instrumentalizadas”, disse Janaína.

Parte da bancada do PSL também pressiona o Palácio do Planalto a demitir ministro do Turismo. A avaliação é que a permanência dele no cargo contamina a sigla e pode prejudicar o desempenho do PSL nas eleições municipais do ano que vem.   

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.