Ministro do Turismo confirma repasse de R$ 500 mil a Valério

O ministro do Turismo, Walfrido Mares Guia (PTB), confirmou na sexta-feira por meio de sua assessoria depósito de R$ 507.134, feito em setembro de 2002, na conta do publicitário Marcos Valério Fernandes de Souza, acusado de ser o operador do esquema do "mensalão". Mares Guia disse ter efetuado o pagamento em dinheiro vivo a pedido do então candidato a senador Eduardo Azeredo (PSDB), que estaria à época com dívidas de campanha. "Sim, fiz um empréstimo a Eduardo Azeredo, mas nunca tive relação com o senhor Marcos Valério", afirmou o ministro, pela voz da assessoria. "Marcos Valério era apenas uma das muitas pessoas que trabalhavam na campanha", completou. "Desconhecia o publicitário, apenas fiz um depósito na conta indicada por Azeredo." No ano passado, no auge do escândalo do "mensalão", o depósito feito pelo ministro do Turismo foi divulgado, mas sem a apresentação de documentos. Em sua edição deste final de semana, a revista Isto É publicou cópia do depósito. Segundo a reportagem, Mares Dias sacou o dinheiro da sua empresa Samos Participações Ltda e depositou diretamente na conta do publicitário, em transação realizada na agência Assembléia do Banco Rural, em Belo Horizonte - a mesma em que forem feitas outras operações do esquema do mensalão. O dinheiro teria sido obtido por meio de um outro empréstimo, contraído no Banco Rural, que foi quitado semanas depois.O ministro também teria repassado outros R$ 200 mil para "ajudar" Eduardo Azeredo. A assessoria do ministro nega, no entanto, a informação divulgada pela revista de que o dinheiro repassado ao candidato tucano teria sido usado para que Marcos Valério calasse o ex-tesoureiro tucano Cláudio Mourão, que ameaçou denunciar um esquema de caixa dois no PSDB na eleição de 1998. Nesse pleito, Azeredo tentava ser reeleito governador de Minas Gerais.Ainda segundo a Isto É, o ministro foi intimado a dar explicações à Polícia Federal sobre o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.