Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
ED FERREIRA/ESTADÃO
ED FERREIRA/ESTADÃO

Ministro do TCU elogia orçamento de Dilma para 2016, mas não alivia 'pedaladas'

Para Augusto Nardes, documento com previsão de déficit 'é referência positiva de mudança de cultura', mas que isso não afeta a análise das contas do ano passado

LUCIANA NUNES LEAL, O Estado de S. Paulo

01 de setembro de 2015 | 13h45

RIO - Relator das contas do governo de 2014, o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Augusto Nardes elogiou nesta terça-feira, 1º, a iniciativa da presidente Dilma Rousseff de mandar para o Congresso o orçamento do ano que vem com previsão de déficit nas contas federais, mas disse que isso não altera a análise das "pedaladas" do ano passado.

"Passamos a viver a realidade depois da análise feita pelo TCU. Havia uma ficção no orçamento e agora o Brasil passa a ser o Brasil verdadeiro. Esperamos que não se repitam as pedaladas e isso não significa que possa mudar nosso comportamento em relação à análise das contas, mas já é referência positiva de mudança de cultura", afirmou Nardes, que participou de um seminário em comemoração aos 45 anos da faculdade Estácio, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro.

O ministro disse que os técnicos do TCU vão analisar se o orçamento de 2016 está de acordo com a Lei de Responsabilidade Fiscal. "Vamos ver se existe descumprimento da lei. Temos que ver se esses números são reais", informou.

Nardes disse ser contra o aumento de impostos. "Temos que fazer cortes. A sociedade já está com um número de impostos muito alto. Aumento de impostos não seria o caminho adequado, dificulta ainda mais a vida das empresas", afirmou o ministro.

Tudo o que sabemos sobre:
orçamentopropostaNardes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.