Ministro do STJ diz que há indícios de venda de habeas-corpus

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Sálvio de Figueiredo Teixeira disse, nesta quinta-feira, que ?há indícios de venda de habeas-corpus? concedidos a traficantes por juízes. ?A primeira impressão é que parece existir alguma coisa?, afirmou o ministro.Presidente da comissão instalada para investigar as suspeitas de participação do ministro do STJ Vicente Leal no suposto esquema, Sálvio de Figueiredo recebeu nesta quinta-feira delegados da Polícia Federal e ouviu parte das fitas com conversas sobre a suposta venda de decisões.Segundo Sálvio de Figueiredo, será necessário aprofundar as investigações para verificar quem está envolvido na venda dos habeas-corpus. Ele não descarta a possibilidade de os negociadores das decisões terem vendido os habeas-corpus sem que os juízes soubessem. ?Os julgadores podem estar vendidos sem saber?, observou o ministro Peçanha Martins, que também integra a comissão de sindicância.Sálvio de Figueiredo disse que será necessário ouvir algumas pessoas que conversam nas fitas para esclarecer o caso. Além disso, ele não descarta a hipótese de solicitar a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico de Vicente Leal. O ministro disse que o próprio Leal colocou à disposição os seus dados bancários e fiscais.O presidente da comissão de sindicância disse que as conversas mostradas pelos delegados federais são cifradas. Nesses diálogos, não é citado o nome do ministro Vicente Leal, segundo Sálvio. Apenas são feitas referências a apelidos como ?cabeça chata? e ?careca?. Mas, em um determinado momento, um interlocutor se dirige a uma mulher como Vera, informou Sálvio. Esse é o nome da mulher do desembargador Eustáquio da Silveira, que também é suspeito de integrar o suposto esquema de venda de habeas-corpus.Uma nova reunião entre a comissão de sindicância e os delegados federais foi agendada para o dia 7 de janeiro. Segundo Sálvio de Figueiredo, os delegados deverão trazer informações complementares, como a identificação dos habeas-corpus supostamente negociados. O tráfico e suas conexões

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.