Ministro do STF suspende autorização de Dirceu para viajar

Ex-ministro da Casa Civil condenado à prisão pelo 'mensalão' não poderá viajar de Brasília para São Paulo

Célia Froufe, O Estado de S. Paulo

22 de novembro de 2014 | 12h32

BRASÍLIA - O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu não poderá mais viajar para São Paulo neste mês. A Vara das Execuções Penais e Medidas Alternativas (Vepema) do Distrito Federal havia concordado que o ex-ministro, condenado à prisão pelo "mensalão", ficasse na capital paulista de 18 de novembro a 2 de dezembro para cuidar de assuntos administrativos de seu escritório. 

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso suspendeu na manhã deste sábado, 22, a autorização. "Solicitem-se ao Juízo da Vara de Execuções Penais e Medidas Alternativas do Distrito Federal (Vepema), com a máxima urgência, informações acerca do pedido, da manifestação do Ministério Público e dos fundamentos da decisão, que deverá ficar suspensa até ulterior deliberação deste relator ou do Supremo Tribunal Federal", escreveu.

José Dirceu foi condenado a 7 anos e 11 meses de prisão por corrupção ativa no escândalo que ficou conhecido como "mensalão". Após 11 meses e 20 dias de prisão, ele foi liberado no último dia 4 de novembro para cumprir o restante da pena em prisão domiciliar. A viagem do ex-ministro havia sido autorizada pela Justiça do DF, mas foi revogada pelo ministro do STF, que é responsável pelo processo.

Tudo o que sabemos sobre:
José DirceuSTFmensalão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.