Ministro do STF promete para fevereiro voto sobre a Raposa

Julgamento foi suspenso por pedido de vistas; oito ministros já votaram pela forma contínua da reserva

Agência Brasil

18 de dezembro de 2008 | 18h50

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello informou nesta quinta-feira, 18, que deverá levar ao plenário em fevereiro do próximo ano seu voto-vista no processo referente à demarcação em faixa contínua da Terra Indígena  Raposa Serra do Sol(RR).  Veja Também:A disputa pela Raposa Serra do Sol  Entenda a sessão do STF e veja como votaram os ministros em outras questões  Leia a íntegra do voto do relator, a favor da demarcação contínua   O julgamento foi suspenso no último dia 10, quando 8 ministros já tinham votado pela manutenção da área de 1,7 milhão de hectares, conforme homologada pelo governo federal em abril de 2005. O voto de Mello deverá ter linha diversa dos já proferidos. "Já tenho os elementos que precisava reunidos e creio que logo no reinício das atividades, em fevereiro, terei o meu voto pronto", afirmou Mello.  "Minha preocupação maior é relativa ao processo de demarcação, onde se presume que tenha a participação de todos os interessados, do estado e de brasileiros que estão naquela localidade", acrescentou.  O ministro admitiu não ter expectativa de que os colegas mudem de opinião após o seu voto e reiterou seu descontentamento com o fato de vários terem antecipado votos quando ele já havia sinalizado que pediria vista.  "O dia-a-dia do Supremo revela que dificilmente temos o reajuste de votos", disse Mello. Para ele, a antecipação de votos no último julgamento "implicou dizer pouco importa o que você trará, já temos convencimento a respeito".  O ministro disse que ficou decepcionado com a postura dos demais membros da Corte. "Fiquei decepcionado apenas, porque não adoto essa postura com colega", reclamou Mello.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.