Ministro do STF morre no Rio

Ministro do STF morre no Rio

Corpo de Carlos Alberto Menezes Direito será velado na antiga sede do STF, no Rio

Ricardo Valota, da Central de Notícias,

01 de setembro de 2009 | 04h27

Morreu na madrugada desta terça-feira, 1º, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, aos 66 anos, o ministro do Supremo Tribunal Federal(STF) Carlos Alberto Menezes Direito. Bacharel e doutor em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio (PUC-RJ), o ministro completaria 67 anos no próximo dia 8. O velório vai acontecer na antiga sede do Supremo Tribunal Federal, no Rio de Janeiro. O enterro será realizado às 17 horas, também no Rio.

 

Direito chegou ao hospital no sábado, com complicações no pâncreas, por conta de um câncer, e foi direto para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O ministro do STF precisou ser sedado e passou a respirar com a ajuda de aparelhos. Carlos Alberto Menezes Direito estava de licença médica desde 21 de maio, quando foi submetido a uma cirurgia para retirada de um tumor no pâncreas. Após o procedimento, o ministro se recuperou e obteve alta, retornando para casa.

 

Nas últimas semanas, Direito voltou a passar mal e foi internado por duas vezes, quando recebeu transfusão de sangue. Segundo Gustavo Direito, que acompanhava o pai no hospital, o estado de saúde se agravou e o ministro do STF faleceu aos 50 minutos desta madrugada. De acordo com Gustavo, o ministro Carlos Alberto Menezes Direito será velado a partir das 9 horas desta terça-feira no Centro Cultural Justiça Federal, antiga sede do STF no Rio de Janeiro, na Cinelândia. O corpo do ministro será sepultado no Cemitério São João, em Botafogo, na zona sul.

 

Entre os inúmeros cargos exercidos, foi prefeito em exercício do Rio de Janeiro entre maio e junho de 1979 e entre março e abril de 1980; presidente da Casa da Moeda do Brasil entre 1985 e 1987; secretário estadual de Educação entre 1987 e 1988; desembargador do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) entre 1988/1996; chefe-de-gabinete do Ministro de Estado de Educação e Cultura entre 1975 e 1978; ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) entre 1996 e 2007

 

Texto atualizado às 7h10.

Tudo o que sabemos sobre:
STFDireito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.