Dida Sampaio|Estadão
Dida Sampaio|Estadão

Ministro do STF defende investigação de Lula e Dilma com base em delação de Delcídio

Marco Aurélio Mello disse que o conteúdo da delação de Delcídio Amaral deixa o País em "uma situação complicada" e afirmou ser cedo para avaliar se o episódio reforça o impeachment da presidente

Gustavo Aguiar, O Estado de S.Paulo

03 de março de 2016 | 18h59

Brasília - O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), defendeu a investigação da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com base no conteúdo da delação do senador Delcídio Amaral (PT-MS) que veio a público nesta quinta-feira, 3. "Qualquer sinal revelador de desvio de conduta precisa ser apurado", afirmou. 

 

A revista IstoÉ divulgou detalhes da delação de Delcídio e trechos do depoimento no qual ele acusa a presidente de atuar três vezes para interferir na Operação Lava Jato por meio do Judiciário. O senador também teria afirmado que Lula  ordenou um acordo com o ex-executivo da Petrobrás Nestor Cerveró. O acordo de colaboração ainda não foi homologado pelo STF.

 

Mello demonstrou preocupação com as informações na delação do senador e disse que "o Brasil fica numa situação complicada". "Isso fragiliza o Brasil em termos de responsabilidade internacional", ele afirmou. O ministro admitiu, no entanto, que é muito cedo para que a delação reforce o embasamento para o pedido de impeachment contra a presidente. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.