Ministro do STF abre inquérito para investigar caso Paulinho

Se for confirmada participação do deputado, o MP deverá denunciá-lo ao STF e se for aceita, será aberta ação

Felipe Recondo, de O Estado de S.Paulo

06 de junho de 2008 | 19h45

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Carlos Ayres Britto abriu ontem o inquérito para investigar os indícios de que o deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho da Força  Sindical, envolveu-se no esquema de desvio de recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), descoberto pela Polícia Federal na Operação Santa Tereza.   Veja também: Conselho de Ética abre processo disciplinar contra Paulinho Processo 'é ótimo' para eu me defender, diz Paulinho Entenda o esquema de desvio de verbas do banco estatal Grupo aliado aconselha Paulinho da Força a renunciar   Britto determinou que as investigações sejam feitas em segredo para não atrapalhar as diligências que a Polícia Federal fará por determinação do Ministério Público, a quem competirá comandar as apurações. E justamente por estar sob sigilo, o ministro não revelou quais serão os primeiros passos das investigações.   As diligências solicitadas pelo procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, inclusive quebra de sigilo bancário e fiscal, ainda serão analisadas pelo ministro.   Se durante as investigações forem confirmados os indícios da participação do deputado, o Ministério Público deverá denunciá-lo ao STF. Se a denúncia for aceita, uma ação penal será aberta contra ele.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.