Ministro do Desenvolvimento sinaliza mudanças no BNDES

O novo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, afirmou nesta quinta-feira, 29, que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ficará sob o comando do seu ministério. Ao ser questionado se ele indicaria o novo presidente da instituição, Miguel Jorge foi taxativo: "Sim". Ele disse que será responsável pela escolha de toda a direção do banco. No entanto, Jorge afirmou que não há razão para grandes mudanças na equipe do ministério nem mudança abrupta no caso do BNDES.Sobre a permanência de Demian Fiocca - atual presidente do banco - no cargo, Jorge respondeu que ainda não pensou sobre o assunto. Ele argumentou que ainda não esteve no Ministério do Desenvolvimento e que até ontem estava envolvido no seu processo de desligamento do banco Santander. "Ou eu pensava em uma coisa, ou na outra", disse, justificando porque ainda não pensou sobre a sua equipe no Ministério do Desenvolvimento. Miguel Jorge tomou posse no final desta manhã, em cerimônia no Palácio do Planalto. Fiocca evitou comentar a declaração do novo ministro. "Hoje é dia de reconhecer o excelente trabalho do ministro Furlan. Eu não teria mais nada para falar (sobre esse assunto) hoje", disse Fiocca a jornalistas, após assistir, no Ministério do Desenvolvimento, à solenidade em que Luiz Fernando Furlan transmitiu a Miguel Jorge o cargo. Fiocca evitou comentar, também, os boatos de que ele seria indicado para um cargo no Ministério de Fazenda. Miguel Jorge já sofreu a primeira baixa no segundo escalão do Ministério. O secretário de Desenvolvimento da Produção, Antonio Sérgio Mello já comunicou a ele que está se aposentando e que irá para a iniciativa privada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.