Ministro diz que confissão não afeta governo

O ministro das Comunicações, Pimenta da Veiga, disse, ao deixar o Palácio dos Bandeirantes, que o envolvimento do senador José Roberto Arruda (PSDB-DF) na violação do painel eletrônico do Senado não irá "respingar" no governo. Pimenta da Veiga disse que Arruda é seu amigo íntimo, e que outros políticos deveriam seguir o exemplo do ex-líder do governo no Senado: confessando a participação em irregularidades. Na avaliação de Pimenta da Veiga, o senador Arruda participou da fraude por uma questão de "fraqueza". Em relação à presidência nacional do PSDB, Pimenta da Veiga afirmou que não é um dos pré-candidatos ao cargo. Ele disse que seu nome surgiu por acaso, mas que apóia integralmente o deputado federal e secretário de Ciência e Tecnologia, José Aníbal, para o cargo de presidente do partido. Pimenta disse ainda que fará o possível para tornar o nome de Aníbal consenso no partido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.