Ministro descarta contratação de professores temporários

O ministro da Educação, Paulo Renato Souza, descartou esta manhã a contratação temporária de professores para a substituição dos docentes das universidades federais, em greve há 84 dias. A contratação está prevista na medida provisória que o governo anunciou ontem. "Obviamente não vamos aplicar isso nas universidades, que exigem profissionais com capacitação específica", disse o ministro, que participa hoje de reunião com pesquisadores e representantes de universidades, na tentativa de isolar o Sindicato Nacional dos Docentes (Andes), que comanda a greve. O encontro, segundo o ministro, tem por finalidade discutir um novo modelo de universidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.