Ministro defende redução dos cargos em comissão

O ministro do Controle e da Transparência, Waldir Pires, defendeu hoje a diminuição do número de cargos em comissão no governo federal. Para ele, o foro privilegiado de parlamentares e autoridades governamentais também deveria ser "muito reduzido". O ministro falou sobre o trabalho da Controladoria Geral da União (CGU) e respondeu a perguntas de parlamentares na Sub-Relatoria de Normas de Combate à Corrupção da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios.Waldir Pires fez as declarações em resposta a um questionamento do deputado Onyx Lorenzoni (PFL-RS), que é sub-relator de normas da comissão. Segundo ele, tais proposições são legítimas do sistema republicano. "Um estado democrático eficiente precisa ter um servidor público eficiente e responsável", afirmou.O ministro foi questionado também sobre a proposta de redução da discricionariedade opção que a lei dá ao administrador público de optar por um ou outro caminho do agente público na escolha de prestadores de serviço sem licitação. De acordo com Lorenzoni, o objetivo da redução é "melhorar os controles públicos"."Tudo está vinculado à transparência. Não há dúvida de que as licitações devem ser feitas. O que acontece com a coisa pública é que ficamos acostumados que o dinheiro público é o dinheiro da viúva e ninguém defende. Há menos dificuldade de natureza institucional do que a de uma cidadania vigilante, que defenda o seu dinheiro. Estou de acordo em insistir nas limitações da discricionariedade", disse o ministro.Lorenzoni afirmou que a maior corrupção está nas obras rodoviárias. O deputado criticou o aditamento de contratos e disse que as operações tapa-buracos são "um ralo". "Nesse governo, no governo que passou e no próximo", ressaltou. As informações são da Agência Brasil.

Agencia Estado,

26 de janeiro de 2006 | 16h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.