Ministro decide impasse sobre terra indígena em Roraima

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, chegou nesta terça-feira a Boa Vista onde participará de diversos encontros para decidir sobre a homologação ou não da reserva indígena Raposa Serra do Sol, com 1,6 milhão de hectares.O impasse quanto à homologação vem desde 1998, quando um parecer do então presidente do Supremo Tribunal Federal, Nelson Jobim, determinava a demarcação em área contínua, o que o ex-presidente Fernando Henrique não homologou.A partir de então começou uma série de ações na Justiça contra a decisão de Jobim e, ao mesmo tempo, surgiu a ingerência política, com parte dos 10 mil índios que vivem na região, das etnias macuxi, taorepang e wapixana seguindo a orientação da Igreja Católica, que deseja a demarcação em área contínua, e os índios que defendem a demarcação, mas que se preservem cidades, estradas, vilas e fazendas produtivas.Logo depois de chegar a Boa Vista, Thomaz Bastos teve um encontro com o governador Flamarion Portela (PT) e, em seguida, com os deputados estaduais na Assembléia Legislativa. Nesta quarta-feira, o ministro deve visitar a comunidade do Maturuca (região norte do Estado, em Uiramutã), local onde vivem os índios que desejam a demarcação em área contínua e com a imediata retirada do homem branco.Em seguida ele vai até a região da Raposa Serra do Sol (nordeste do Estado, em Normandia), ouvir as lideranças que defendem a preservação das áreas produtivas. Na quinta-feira, será a vez de os produtores falarem com Thomaz Bastos. No entanto, todos entendem que o impasse deve terminar a partir dessa visita.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.