Ministro de Dilma lamenta saída de PTB da aliança

Gilberto Carvalho disse ainda que é preciso 'valorizar muito' os partidos que continuam na aliança

Ricardo Della Coletta e Ricardo Brito, Agência Estado

21 Junho 2014 | 11h17

BRASÍLIA - O ministro da secretaria-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, lamentou neste sábado, 21, o desembarque o PTB da aliança da reeleição da presidente Dilma Rousseff. O partido sinalizou que não vai apoiar Dilma nas eleições deste ano e também se aproximou da candidatura de Aécio Neves (PSDB).

"Se é real que houve essa defecção, só posso lamentar", disse o ministro, destacando que não tinha ainda nenhuma informação oficial sobre a decisão petebista.

Na convenção nacional que vai sacramentar a candidatura da presidente Dilma, Carvalho lembrou que o PTB está aliado com o PT "há muito tempo" - desde a primeira eleição de Luiz Inácio Lula da Silva. 

Carvalho disse ainda que é preciso "valorizar muito" os partidos que continuam na aliança e que a defecção petebista não aumenta as chances de mais dissidências na aliança pela reeleição de Dilma. 

O vice-presidente do PT, deputado José Guimarães, também reagiu à saída do PTB da coalização de Dilma. Segundo ele, a justificativa usada pelos dirigentes da sigla para explicar o desembarque foi "conversa para boi dormir". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.