Ministro da Saúde acusa Funasa de ser corrupta

Presidente da Fundação, Danilo Forte diz que se José Temporão está descontente é só 'demiti-lo'

Lígia Formenti, de O Estado de S.Paulo

12 de novembro de 2008 | 19h46

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, acusou nesta a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) - instituição que integra seu ministério - de ser corrupta e apresentar baixa qualidade de serviços. "As denúncias de escândalos, corrupção, desvio de dinheiro, estão todo o dia na imprensa. A situação é muito grave. Não podemos deixar a situação do jeito que está. Temos de mudar", disse o ministro, referindo-se a Funasa.  As declarações foram feitas durante um tenso debate com lideranças indígenas e devem servir como ingrediente para azedar ainda mais a relação do ministro com o seu partido, o PMDB. A Funasa é um reduto conhecido de peemedebistas, que ocupam desde gabinetes em Brasília até pequenos escritórios da Funasa instalados em cidades do interior.  Leia a íntegra da reportagem na edição desta quinta-feira, 13, no jornal O Estado de S.Paulo. O presidente da Funasa, Danilo Forte, apadrinhado do ex-presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL), indicou o tom da reação. Disse que se o ministro está descontente é só demiti-lo e emendou: todos os seus atos na direção da Funasa foram feitos com o conhecimento - e concordância - de Temporão.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.