Dida Sampaio|Estadão
Dida Sampaio|Estadão

Ministro da Previdência diz que Dilma está firme e determinada

Rossetto deu as declarações após anunciar a abertura de uma linha de crédito de R$ 5 bilhões para capital de giro para pequenas e microempresas

Carla Araújo e Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

10 de maio de 2016 | 12h50

Brasília - O ministro do Trabalho e Previdência, Miguel Rossetto, afirmou hoje, após encontro com a presidente Dilma Rousseff, que a presidente segue “determinada” e “firme” para defender o seu mandato. Sem comentar a recente "confusão" por conta do pedido - depois revogado - do presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão de suspender o processo de impeachment, Rossetto afirmou que Dilma vai utilizar de todos os meios existentes para tentar reverter a provável aprovação do processo no Senado, que deve acontecer amanhã.

“A presidente vai continuar a fazer aquilo que tem anunciado, cumprindo sua responsabilidade com determinação e firmeza, buscando em todos os espaços a legalidade, a defesa da constituição e a democracia”, afirmou. “Isso significa continuar com o debate junto ao Senado, junto ao STF, com todas as instâncias e também com a sociedade.”

Rossetto deu as declarações após anunciar a abertura de uma linha de crédito de R$ 5 bilhões, sendo R$ 3 bilhões via BNDES e R$ 2 bilhões, do Banco do Brasil, para linhas de crédito para capital de giro para pequenas e microempresas. Segundo o ministro, 30% dos recursos são destinados a empresas que faturam até R$ 360 mil.

De acordo com publicação do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), de onde virão os recursos, o teto financiado é de R$ 200 mil por empresa, com prazo carência de um ano e com financiamento de três a quatro anos para pagar. Os juros irão variar de 17,1% a 19,5% ao ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.