Ministro da Justiça também sai em defesa de Palocci

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, disse nesta sexta-feira que o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, está sendo alvo de um ataque especulativo e que a Polícia Federal não se prestará ao papel de colaborar com esse ataque, descartando, com isso, a hipótese de mandar abrir um inquérito contra ele."A Polícia Federal, nesses três anos (de governo Lula), nunca se prestou a esse tipo de exploração política, e não será agora que vai faze-lo", afirmou Bastos. Segundo ele, Palocci "está fazendo um grande trabalho pelo País e é merecedor de toda a confiança do presidente Lula, do governo e da sociedade e não será afastado do cargo".Bastos fez coro às lideranças governistas no Senado que, ontem, afirmaram que a CPI dos Bingos perdeu o foco e se tornou palco de especulação e de exploração política.Virou o barcoEle fez as declarações depois de instalar a Operação Brabo (siglas composta das iniciais de Brasil e Bolívia), que tem por objetivo marcar presença da autoridade brasileira na fronteira de aproximadamente 3.000 Km que o Brasil divide com a Bolívia, em cujo ponto central se localiza o município de Costa Marques. A Brabo será uma operação integrada entre a PF, o Ibama, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e outros órgãos públicos, envolvendo ações de combate ao tráfico de drogas, contrabando, destruição ambiental e outros.Durante um passeio de barcos que a comitiva fez pelo rio Guaporé até o Forte Príncipe da Beira, um dos barcos virou e três policiais foram jogados dentro da água. Todos, porém, se salvaram e ninguém se feriu. De Costa Marques, Thomaz Bastos está neste momento se deslocando para Vilhena, também em Rondônia.

Agencia Estado,

17 de março de 2006 | 17h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.