Ministro da Justiça fala na sessão da CCJ da Câmara

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, deputado Sigmaringa Seixas (PT-DF) abriu a sessão que vai ouvir o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, que está sentado à mesa. Bastos presta depoimento sobre a quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa. Seixas informou, ao iniciar a sessão, que o ministro está comparecendo espontaneamente para depor e não por meio de convocação ou convite. Bastos, segundo Seixas, está à disposição para esclarecer a atuação da Polícia Federal e de dois assessores do Ministério Daniel Goldberg e Cláudio Alencar, sobre a quebra do sigilo bancário do caseiro."Ele (ministro) somente poderá ser interpelado sobre esse assunto", disse Sigmaringa Seixas, acrescentando que Bastos teria 40 minutos para fazer uma exposição, sem ser interrompido e mais 20 minutos de prorrogação, se necessário, quando então poderia ser aparteado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.