Ministro da Justiça diz que caso Tuma Júnior foi 'superado'

Segundo Luiz Paulo Barreto, o Ministério e a Secretaria continuam seus trabalhos normalmente

estadão.com.br,

21 de junho de 2010 | 13h03

BRASÍLIA - O ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, afirmou nesta segunda-feira, 21, que a questão envolvendo o ex-secretário nacional de Justiça Romeu Tuma Júnior "já está resolvida e superada", após a demissão do delegado na última segunda-feira, 14. Segundo Barreto, o Ministério e a Secretaria continuam seus trabalhos normalmente.

 

Sobre a decisão da Justiça do Distrito Federal de conceder um habeas corpus preventivo para Tuma Jr., impedindo a Polícia Federal de abrir os arquivos do computador de trabalho utilizado por ele, Barreto disse que o Ministério da Justiça segue rigorosamente qualquer instrução do Poder Judiciário.

 

Luiz Paulo Barreto fez às declarações depois de participar da solenidade de criação das comissões que vão elaborar o segundo Diagnóstico do Ministério Público da União e dos Estados.

 

Em reportagem publicada em maio, o Estado revelou que gravações telefônicas e e-mails interceptados pela Polícia Federal durante investigação sobre contrabando ligavam o secretário nacional de Justiça e o chinês Li Kwok Kwen, o Paulo Li - apontado como um dos chefes da máfia chinesa em São Paulo. Com informações da Agência Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.