Ministro da Justiça defende punição por uso irregular de aviões da FAB

'Se existem casos em que as pessoas estão transgredindo (uso de aviões da FAB), rigorosamente devem responder por isso', afirma José Eduardo Cardozo

Débora Álvares - O Estado de S. Paulo,

16 de julho de 2013 | 13h58

BRASÍLIA - O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, defendeu a punição de autoridades que utilizarem irregularmente os aviões da Força Aérea Brasileira (FAB). Segundo ele, o decreto presidencial que regula o uso determina claramente as hipóteses em que as aeronaves podem ser utilizadas.

"Quem está atuando de acordo com o decreto está atuando no exercício da sua função. Se existem casos em que as pessoas estão transgredindo, rigorosamente devem responder por isso, porque não se pode permitir ilegalidades ou mau uso de equipamentos", disse Cardozo na manhã desta terça-feira, 16, ao sair de uma audiência pública na Comissão de Educação do Senado.

O ministro aparece em terceiro lugar no ranking das autoridades que mais voaram pela FAB no primeiro semestre desse ano, com 91 viagens. Ainda assim, ele considera correta a iniciativa da Força Aérea de divulgar os voos.

"Quanto mais aprimorarmos a transparência, melhor o controle da sociedade, e as pessoas públicas têm condições de prestar contas em relação ao que fazem. Acho que foi correta decisão, a sociedade acompanhará e autoridades públicas, a cada momento que forem instadas, terão que dar devidas explicações sobre os atos que praticam", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.