'Ministro da Fazenda só semanas depois do G-20', diz presidente

Dilma Rousseff voltou a comentar sobre nomeação de substituto de Guido Mantega e afirmou que ainda não fez nenhum convite

Tânia Monteiro e Marcelo de Moraes, O Estado de S. Paulo

06 de novembro de 2014 | 19h14

Brasília - A presidente Dilma Rousseff voltou a dizer nesta quainta-feira, 6, que só anunciará o nome do novo ministro da Fazenda depois da reunião de Cúpula do G-20, que acontece na Austrália, nos dias 15 e 16 de novembro. "Ministro da Fazenda só semanas depois do G-20", afirmou Dilma em entrevista nesta tarde a jornalistas dos quatro principais jornais do País. O mesmo vale para toda a equipe econômica do segundo mandato, "só nas semanas seguintes ao G-20".

Dilma também negou que já tenha feito convites a possíveis candidatos ao ministério da Fazenda. "Não fiz convite nenhum", enfatizou.

Tarifaço. Durante a entrevista, a presidente aproveitou para rebater as afirmações da oposição de que o governo tenha represado reajustes de preços e que esse "tarifaço" iria ocorrer após as eleições. "O tarifaço já aconteceu. Essa história que represamos (os preços) é lorota", afirmou Dilma. Segundo ela, o governo suavizou alguns reajustes de preços para não ter impacto forte.

Sobre o reajuste de gasolina que é esperado para os próximos dias, Dilma disse esse reajuste é "por conta do passado". "Vai ter um período de preço internacional (petróleo) lá em baixo e o nosso lá em cima", afirmou, lembrando das variações do preço internacional do petróleo.

Tudo o que sabemos sobre:
Ministro da FazendaDilma RousseffG20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.