Ministro da Defesa diz que preocupação inicial é com a Olimpíada

Raul Jungmann marcou uma reunião com o ministro do Planejamento, Romero Jucá, para pedir liberação de verba

Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

12 de maio de 2016 | 20h31

BRASÍLIA - Em entrevista no Planalto, após tomar posse, o novo ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse que a sua prioridade, neste momento, é a preparação da Olimpíada e anunciou que já nesta sexta-feira, 13, comandará uma reunião para tomar pé de toda organização dos jogos, para encaminhar, em seguida, um relatório sobre o tema para o presidente em exercício Michel Temer.

Jungmann afirmou ainda que, apesar da difícil situação fiscal que enfrenta o País, é preciso garantir recursos permanentes para a plena execução dos projetos estratégicos das Forças Armadas, a longo prazo. "Precisamos ter estabilidade para liberação de recursos para os projetos estratégicos. Precisamos ter um horizonte para a área de defesa. Não podemos ficar ao sabor das mudanças de conjuntura da economia", comentou o ministro que evitou, no entanto, endossar o projeto de vinculação de 2% do PIB para a área de Defesa, conforme propôs o seu antecessor, Aldo Rebelo.

Para discutir o repasse de mais verbas para as forças, a fim de retomar projetos importantes que estão sofrendo com graves atrasos por conta das restrições orçamentárias, o novo ministro marcou uma reunião com o ministro do Planejamento, Romero Jucá. Ele quer pedir a liberação de R$ 400 milhões a R$ 500 milhões a fim de assegurar a continuidade dos planos estratégicos.

Ao falar da sua preocupação com as Olimpíadas, o novo ministro lembrou que os jogos serão realizados no Rio de Janeiro, cidade que passa por uma "delicada situação". Ele citou, no entanto, que o terrorismo é importante de estar no radar, mas, "felizmente, o Brasil não está em área de risco".

Jungmann prometeu dialogar com a indústria de defesa, lembrando que ela é de suma importância para o desenvolvimento de tecnologia e o emprego.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.