Ministro da Agricultura diz que não defende transgênicos

O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, rebateu hoje a acusação de que estimula o plantio de sementes de soja geneticamente modificada. "Eu não estimulo nada. Tenho discutido a necessidade de criar um instrumento legal para evitar a ilegalidade", afirmou. "Vejo com muita tristeza essa acusação", acrescentou Rodrigues, que está em Pequim e falou a jornalistas brasileiros pelo sistema viva-voz.O ministro é criticado por sua posição em relação aos organismos transgênicos. "Contrariando as determinações do cargo que ocupa, Rodrigues emite sistematicamente declarações favoráveis à produção de soja geneticamente modificada, que, no mínimo, induzem o cidadão a erro. Sua conduta deve ser averiguada", afirmou ontem o presidente do Fórum Nacional das Entidades Civis de Defesa do Consumidor, Sezifredo Paz.Roberto Rodrigues também falou sobre a produção agrícola da China que, segundo ele, está se deslocando dos grãos para produtos com maior agregado, como frutas e legumes. "O horizonte de longo prazo é de crescimento na demanda por alimentos por parte da China", disse.Além de alimentos, o governo do Brasil tem interesse num projeto estratégico para exportar álcool para mistura à gasolina para os chineses. Ele reafirmou que o Brasil continuará exportando soja para a China, apesar da recente reclamação sobre a qualidade do grão brasileiro. "A China importará soja transgênica. O que ela deseja é a rotulagem, a informação sobre o produto", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.