Ministro cria grupo para ampliar segurança em concursos

O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Paulo Bernardo, determinou a criação de um Grupo de Trabalho para propor medidas relativas à segurança dos concursos públicos realizados pela Administração Pública Federal, informa nota publicada hoje no site do Ministério. A ação tem o objetivo de reforçar a lisura e a transparência das seleções.

LUCI RIBEIRO, Agência Estado

18 de junho de 2010 | 19h06

O grupo de trabalho, instituído por meio de portaria interna publicada no Boletim de Pessoal e Serviço do Ministério do Planejamento, será composto por representantes da Secretaria de Gestão, que o coordenará, da Secretaria-Executiva, da Secretaria de Recursos Humanos e da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação. O GT terá 30 dias para apresentar sugestões.

A medida foi anunciada após uma operação da Polícia Federal na quarta-feira. A quadrilha presa tinha ramificação nacional e fraudava concursos públicos em todo o País havia pelo menos 16 anos. Os exames mais visados envolviam carreiras estratégicas de Estado, como auditor da Receita, policial federal, oficial da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e peritos de agências reguladoras. O valor do gabarito variava de US$ 50 mil a 150 mil - cerca de R$ 270 mil. Durante a Operação Tormenta, a PF prendeu os 12 principais operadores da quadrilha.

Tudo o que sabemos sobre:
concursossegurançaPaulo Bernardo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.