Ministro confirma 16 mortes em Alcântara

O ministro da Defesa, José Viegas confirmou a morte de 16 técnicos brasileiros na explosão do veículo lançador de satélites (VLS) em Alcântara, no Maranhão, ocorrido hoje, às 13h30, mas ressaltou que esta informação ainda é preliminar. Ele disse que as circunstâncias do acidente estão sendo investigadas com o rigor e a rapidez necessários.Viegas disse, ainda, que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com quem conversará ainda hoje, já foi informado do acidente. "Eu quero, nesta oportunidade, em nome do governo brasileiro, lamentar a morte dos trabalhadores que estavam envolvidos nessa operação tão nobre", afirmou o ministro. "A perseverança é uma virtude". Amanhã, Viegas irá até Alcântara para ver "in loco" a situação na base de lançamentos. Ele relatou que recebeu a notícia quando estava decolando de São Pedro da Aldeia (RJ) para Brasília. Viegas ponderou que o número de mortes é uma primeira informação do desastre ocorrido na base de Alcântara. O ministro disse, ainda, que a explosão do protótipodo Veículo Lançador de Satélites-3 (VLS-3) ocorreu depois de "uma ignição por causa ignorada em um dos quatro motores do corpo principal do foguete. Segundo o ministro, a plataforma de lançamento, no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão, ruíu em conseqüência da explosão, e tudo indica, preliminarmente, "que isso tenha matado os 16 técnicos." Viegas informou que as vítimas eram do Centro Técnico Aeroespacial (CTA) da Aeronáutica, de São José dos Campos (SP). Ele disse também que o Ministério da Defesa ainda não tem a relação dos nomes dos mortos nem o número exato de vítimas do acidente. Explicou que está sendo feita uma chamada, n o Centro de Lançamento, para se saber quais as pessoas presentes "e deduzir as ausentes".Em nota divulgada depois da entrevista de José Viegas, o Ministério da Defesa lamentou "profundamente" que a explosão do mprotótipo do VLS-3 tenha causado "o desaparecimento, até o momento, de 16 pessoas que trabalhavam na plataforma". A nota diz também que o Ministério fará novos esclarecimentos sobre as causas e conseqüências do acidente, "tão pronto sejapossível". PesarO deputado Nelson Proença (RS), vice-líder do PPS na Câmara Federal, afirmou no início da noite que recebeu as notícias sobre a explosão de foguete brasileiro em Alcântara, no Maranhão, com muita tristeza. "A essa altura, temos de manifestar toda a nossa solidariedade às famílias dos brasileiros que perderam a vida no acidente, na esperança de que o sacrifício trágico e inesperado não seja em vão quando pensamos no futuro do Brasil".Para o parlamentar gaúcho, membro da Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Deputados, o programa aeroespacialbrasileiro, apesar do acidente grave, deve continuar. "Já andamos muito nesta área e não podemos parar?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.