Ministro Ciro Gomes põe cargo à disposição de Lula

No dia seguinte à decisão do diretório nacional do PPS de entregar os cargos no governo federal e assumir posição independente no Congresso, o ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, disse que pôs o cargo à disposição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ciro deu a entender que seu destino será mesmo procurar outra legenda. O ministro informou que fará uma reunião com seus aliados do PPS, esta semana, para tomar uma decisão. Questionado se vai se reunir com o presidente do partido, deputado federal Roberto Freire (PE), Ciro respondeu: "O bom dessa história é não precisar falar com ele." Foi de Freire a proposta vencedora de saída da base governista.Ciro passou o domingo no Rio, mas não quis fazer maiores comentários sobre a decisão do diretório. Acrescentou apenas que discorda do que foi aprovado. O prefeito de Sobral (CE), Cid Gomes, irmão de Ciro e também filiado ao partido, disse que o ministro "lamentou profundamente" o resultado da reunião de sábado, em que a maior parte dos delegados do diretório aprovou a entrega dos cargos. Com Ciro, deverá sair, além de Cid, a senadora Patrícia Saboya (CE), ex-mulher e aliada do ministro. O PT do Rio já avaliou a possibilidade de convidar Ciro para se filiar ao partido e ser o candidato ao governo fluminense em 2006. Também o presidente do PTB, deputado Roberto Jefferson (RJ), já convidou o ministro a ingressar na legenda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.