Ministro alerta adversários caso decidam 'bater' em Dilma em debate

'Se eu fosse um adversário da Dilma, eu tentaria mostrar alternativas ao que ela vai fazer', afirmou o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo

Gustavo Porto, de O Estado de S.Paulo

03 de agosto de 2010 | 15h57

ARARAQUARA, SP - O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, avaliou nesta terça-feira, 3, que os adversários da candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, "poderão ter alguma surpresa, algum revés", ou mesmo "não serem bem recebidos pelo espectador", caso decidam "bater" na ex-ministra durante o primeiro debate entre os presidenciáveis, a ser realizado pelo Grupo Bandeirantes na quinta-feira, 5.

 

"Se eu fosse um adversário da Dilma, eu tentaria mostrar alternativas ao que ela vai fazer", aconselhou o ministro, durante visita a Araraquara (SP).

 

Para Bernardo, o fato de Dilma nunca ter sido candidata a cargos eletivos e, portanto, estrear em debates, pode ao mesmo tempo ajudar e atrapalhar a candidata do governo federal. "Se, por um lado, isso pode gerar dúvida sobre a experiência, por outro lado existe uma parcela enorme na população que quer ver a política com novos olhos, novas formas, e a Dilma pode expressar essa visão diferente", disse o ministro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.