Ministro admite que governo pediu saída de seu irmão de estatal

Irmão de Fernando Bezerra, que ocupava diretoria na Condevasf, foi exonerado nesta quinta

Andrea Jubé Vianna, de O Estado de S.Paulo

12 de janeiro de 2012 | 21h30

BRASÍLIA - O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, admitiu há pouco, em entrevista coletiva concedida no final da audiência à Comissão Representativa do Congresso, que o governo pediu a saída de seu irmão, Clementino Coelho, da diretoria de Desenvolvimento Integrado e Infraestrutura da Codevasf - estatal de infraestrutura do Vale do São Francisco, vinculada ao ministério.

 

"Para eliminar qualquer ruído ou dúvida, o próprio governo resolveu solicitar e ele entendeu a situação e pediu para sair dos quadros da empresa", afirmou o ministro. O jornal O Estado de S. Paulo revelou que o ministro nomeou seu irmão para a presidência da estatal, configurando hipótese de nepotismo, proibido nas três esferas de poder público. No entanto, Bezerra Coelho negou o nepotismo, afirmando que o irmão foi nomeado diretor da estatal em 2003 e assumiu a presidência apenas interinamente, em cumprimento ao estatuto da empresa.

 

Ao final da coletiva, Bezerra Coelho se declarou "animado" para continuar à frente do ministério e reafirmou que tem a confiança da presidente Dilma Rousseff para prosseguir no cargo. "Quem fortalece ou não o ministro é a confiança da presidenta. Eu tenho a confiança da presidenta, o carinho dela, o apoio dela nas ações que estamos desenvolvendo", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.