Ministro admite problemas no programa

O ministro das Cidades, Márcio Fortes, admitiu ontem que há problemas na execução de outras obras do PAC no Estado do Rio, como as de urbanização e saneamento em cidades da Baixada Fluminense. No entanto, argumentou que são a produção e análise dos projetos que atrapalham os trabalhos. Segundo levantamento feito pelo jornal Extra, 34 de 48 obras do PAC visitadas na Baixada estão paradas. Entre elas, a urbanização da Favela do Lixão, em Duque de Caxias, cidade administrada pelo tucano José Camilo Zito. Moradores denunciaram que as obras foram paralisadas no ano passado após a derrota do ex-prefeito Washington Reis (PMDB), que tentou a reeleição com o apoio de Lula e do governador Sérgio Cabral (PMDB). Fortes disse que a execução dos trabalhos foi suspensa a pedido do próprio Zito, que teria manifestado interesse em alterar o projeto deixado por Reis, já iniciado."A obra não está suspensa, simplesmente está aguardando a nova concepção para que o projeto respectivo seja apresentado e analisado pela Caixa. Isso não aconteceu somente aqui, aconteceu em várias cidades no País." O ministro argumentou que outros projetos na Baixada, como a Cidade dos Meninos, estão avançando. Ele disse que não há privilégios a prefeitos aliados do governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.