Ministra reage e diz que oposição não tem projeto

Mas elogia pacote de medidas de estímulo à economia de Serra

Elder Ogliari, O Estadao de S.Paulo

14 de fevereiro de 2009 | 00h00

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, disse ontem que a oposição tem se mostrado incomodada porque o governo está trabalhando e tem projeto para o Brasil. Ao mesmo tempo, elogiou o pacote de medidas de estímulo à economia lançado pelo governo de São Paulo na quinta-feira. "Acho muito bom, o PAC do (José) Serra é muito bem-vindo e o governo federal, no que puder, vai contribuir", afirmou, fazendo referência à sigla do principal programa federal de obras de infraestrutura. "Estamos precisando no Brasil que todos os governantes façam investimentos."Os comentários foram feitos em entrevista coletiva após inauguração e lançamento de obras do Programa de Aceleração do Crescimento em municípios da região metropolitana de Porto Alegre. Dilma foi indagada sobre a iniciativa do DEM, que enviou representação ao Tribunal de Contas da União (TCU) e prometeu enviar ao Tribunal Superior Eleitoral (TCE) pedindo apuração de suposta promoção irregular de sua candidatura à Presidência.Depois de qualificar como "improcedente" a acusação do partido, Dilma passou a justificar a série de inaugurações e visitas a obras que seguirá agendando, sempre às sextas-feiras, durante este ano. "O que estamos fazendo é o lançamento, o acompanhamento e o monitoramento das nossas obras, algo absolutamente legítimo e que integra as nossas ações enquanto Executivo", afirmou.A ministra chegou a ironizar os críticos do programa. "Se o PAC não existe, se é peça de marketing, por que tem tanta obra de saneamento e habitação popular espalhada por todo o Brasil?", perguntou. "Acho que o que incomoda de fato a oposição é o fato de que o governo está agindo, tem um projeto para o Brasil, que é um projeto de desenvolvimento com crescimento econômico e distribuição de renda e inclusão social."Mesmo reconhecendo que a oposição tem o direito de falar o que quiser num país democrático, Dilma seguiu na sua crítica. "Não me parece que eles tenham projeto", provocou. "Eles se preocupam conosco porque temos um volume de ações que nunca no Brasil houve igual, então até compreendo que fiquem assim, com essas questões que eu chamaria de laterais."Em sua passagem pela região metropolitana de Porto Alegre, Dilma inaugurou a ampliação e pavimentação de uma avenida em São Leopoldo e visitou dois terrenos de futuras obras da ampliação do metrô de superfície. Indagada sobre sua presença em palanques, disse que isso é exigência do cargo. "Minha atividade no palanque é intrínseca à função de ministra-chefe da Casa Civil", ressaltou. "É porque esse governo do qual participo tem a mania de gostar de falar com o povo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.