Andre Dusek/AE - 22/11/2011
Andre Dusek/AE - 22/11/2011

Ministra do Planejamento contesta operação padrão da Polícia Federal

A intenção da PF é pressionar o governo, que cortou R$ 1,5 bilhão do Orçamento do Ministério da Justiça neste ano; para Miriam Belchior, organização já recebe tratamento diferenciado

Anne Warth, da Agência Estado

23 de novembro de 2011 | 16h46

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, disse nesta quarta-feira, 23, ter ficado surpresa com a decisão da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) de desencadear uma operação padrão a partir de quinta-feira, 24, em todos os postos de fronteira e bases fluviais instaladas em rios estratégicos que cortam a Amazônia, vindos de países vizinhos. A intenção é pressionar o governo, que cortou R$ 1,5 bilhão do Orçamento do Ministério da Justiça neste ano e praticamente inviabilizou os desembolsos de R$ 200 milhões previstos para serem liberados dentro do Plano Estratégico de Fronteiras.

Os recursos seriam destinados para aumentar o contingente de policiais federais, melhorar instalações e oferecer pagamento adicional para os agentes lotados nos 16,8 mil quilômetros de fronteira seca com países vizinhos. Os servidores da PF em 12 Estados e no Distrito Federal também preparam uma manifestação em frente ao Ministério da Justiça amanhã para defender o adicional aos policiais que trabalham nas fronteiras.

"Eu acredito que a Polícia Federal foi uma das poucas instituições que receberam recursos adicionais depois do ajuste que foi anunciado no começo do ano", afirmou a ministra após participar de almoço na Associação dos Construtores, Imobiliárias e Administradoras do Grande ABC, em São Bernardo do Campo (SP).

De acordo com a ministra, a Polícia Federal recebeu um tratamento diferenciado das demais áreas justamente pela importância que a presidente Dilma Rousseff dá às ações policiais, especialmente nas fronteiras. "Então, eu fui surpreendida por esse anúncio, porque foi exatamente o inverso, foi uma das poucas áreas beneficiadas por um pequeno ajuste de recursos durante o ano".

 

Tudo o que sabemos sobre:
PFFRONTEIRASMiriam

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.