Ministra Dilma fez sessão de quimioterapia hoje, diz hospital

Tratamento é para combater um linfoma; doença foi diagnosticada há cerca de três semanas em exames

Agência Brasil

14 de maio de 2009 | 19h25

A ministra chefe da Casa Civil da Presidência da República, Dilma Rousseff, se submeteu na manhã desta quinta-feira, 14  a uma sessão de quimioterapia para tratamento de um câncer no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. Segundo a assessoria de imprensa do hospital, a nota foi divulgada a pedido da paciente, que já está em Brasília.

 

Veja também:

linkFalta opção ao PT se Dilma deixar disputa, dizem cientistas políticos

link'Seria de muito mau gosto explorar a doença', diz Dilma

link'Foi um soco no estômago', diz Dirceu sobre doença

link Dilma cogita antecipar saída do governo para campanha

 

A ministra está fazendo tratamento de quimioterapia para combater um linfoma, um câncer do sistema linfático, na axila esquerda. A doença foi diagnosticada há cerca de três semanas em exames de rotina e um gânglio foi extirpado durante uma cirurgia que durou 45 minutos. A ministra disse que vai enfrentar o tratamento da doença trabalhando.  Segundo os médicos, as chances de cura seriam de mais de 90%.

 

 

Dilma disse que não sente sintomas da doença. "Eu estou me sentindo muito bem, é uma das coisas contraditórias dessa doença, por isso recomendo que as pessoas façam exames, façam medicina preventiva", afirmou. "Vim fazer um check-up e foi encontrado o nódulo".

 

 

Mais conteúdo sobre:
Dilma Rousseffsaúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.