Ministra da Igualdade Racial defende cotas para negros

A ministra de Políticas de Promoção da Igualdade Racional, Matilde Ribeiro, defendeu nesta sexta-feira as políticas de cotas como uma das melhores formas de mudar as perspectivas de trabalho para a população negra. "A criação de mecanismos como as cotas ajuda a mudar as perspectivas dos negros e a visão que os próprios empregadores têm do mercado de trabalho", disse a ministra no mesmo dia em que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou pesquisa que aponta que salário de negros é metade do recebido por brancos. Matilde afirmou, ainda, que o sistema de cotas iniciado em universidades federais - hoje a maioria já adota algum tipo de programa - provou que o sistema é útil e não prejudica o rendimento das instituições. "As cotas mostraram que, quando essa população tem uma oportunidade como essa, agarra-se a ele como uma tábua de salvação", afirmou. A pesquisa mostrou também que a população em idade ativa preta e parda, com média de 7,1 anos de estudo, era menos escolarizada que a população branca, que tinha em média 8,7 anos de estudo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.