Dida Sampaio/ Estadão
Dida Sampaio/ Estadão

Eduardo Bolsonaro, ministra Tereza Cristina e advogado-geral da União testam positivo para covid-19

Filho do presidente fez parte da comitiva brasileira em Nova York, onde ministro da Saúde já cumpre quarentena; Tereza e Bruno Bianco não foram aos EUA

Cássia Miranda, Eduardo Gayer, Lauriberto Pompeu e Beatriz Bulla, O Estado de S.Paulo

24 de setembro de 2021 | 09h41
Atualizado 24 de setembro de 2021 | 14h16

São Paulo, Brasília e Nova York - Três dias após o diagnóstico positivo para covid-19 do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, mais dois integrantes do primeiro escalão do governo do presidente Jair Bolsonaro informaram nesta sexta-feira, 24, que estão com covid-19: a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e o advogado-geral da União, Bruno Bianco. Além deles,  o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, também confirmou ter testado positivo, aumentando para três o número de casos de contaminações na delegação brasileira que foi aos Estados Unidos para acompanhar a 76ª Assembleia-Geral da ONU, no início da semana. 

A exemplo de Queiroga, que foi diagnosticado na terça-feira, em Nova York, Eduardo acompanhou o Bolsonaro na viagem. O filho do presidente disse que um primeiro teste, feito ainda nos Estados Unidos, havia dado negativo, o que permitiu ele voltar ao Brasil.  O ministro, por sua vez, permaceu na cidade americana cumprindo quarentena.

Teresa e Bianco não fizeram parte da comitiva brasileira na ONU, que ainda teve um caso positivo de um assessor do Itamaraty. O servidor fazia parte da equipe precursora, que cuidou dos preparativos para a visita. Bianco já tomou a primeira dose da vacina contra covid-19.

Ao portal R7, o filho do presidente Bolsonaro contou estar "sem paladar e com coriza". Eduardo usou o Twitter para reforçar discurso do governo contra o chamado "passaporte sanitário". Em imagem publicada na rede social, ele diz que seu teste em Nova York teve resultado negativo, mas no Brasil "dois dias depois, positivou". Na mensagem, Eduardo sugeriu estar se tratando com cloroquina. "Sinto-me melhor do que ontem e nem te conto o que tomei...", comentou. A defesa do chamado "tratamento precoce" para covid — que não tem eficácia comprovada — esteve entre os assuntos abordados pelo presidente Bolsonaro em seu discurso na ONU.

Em Nova York, Eduardo não participou dos compromissos oficiais da comitiva, como a reunião com o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, na segunda-feira. No entanto, ele esteve presente em momentos como o almoço na churrascaria Fogo de Chão e no jantar na casa do embaixador brasileiro na ONU.

Pelo Twitter, Tereza Cristina disse que “está bem” e “permanecerá em isolamento” pelos próximos dias, por orientação médica. “Informo a todos que testei positivo para #Covid19. Estou bem. Cancelei meus compromissos presenciais e permanecerei em isolamento  durante o período de orientação médica, escreveu.

Nos últimos dias, Tereza Cristina teve uma agenda agitada: esteve, do dia 14 até o 18 de setembro, na cidade italiana de Florença, onde aconteceu um encontro de ministros de Agricultura do G20, grupo das 20 maiores economias do mundo.

No dia 16, a ministra se reuniu com o secretário de Agricultura dos Estados Unidos, Tom Vilsack. No mesmo dia, Tereza foi ao Open Forum em Agricultura Sustentável, que reuniu representantes de países membros e não membros do G20.  No dia 17, a ministra participou de outro evento do G20 com o tema “Pesquisa como força motriz da sustentabilidade”. 

No dia 18, ela se reuniu com outros ministros da Agricultura para debater a contribuição do G20 para a próxima Cúpula dos Sistemas Alimentares (Food Systems Summit) e para a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 26).

Entre as autoridades que Tereza se reuniu ao voltar para o Brasil nesta semana estavam o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, e o presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Antonio Barra Torres, que tiveram encontros com ela na quarta-feira, 22. Ainda na quarta, a ministra também esteve com congressistas, como o presidente da Republicanos, deputado Marcos Pereira (SP), e a senadora Kátia Abreu (Progressistas-TO).

Ao Broadcast Político, a assessoria de imprensa de Bianco informou que ele fará novos testes e aguardará o resultado em isolamento. De acordo com nota enviada pela AGU ao Estadão, o ministro está "sem sintomas e cancelou a agenda de hoje".

Ontem, o AGU compareceu presencialmente à cerimônia de recondução do procurador-geral da República, Augusto Aras, ao cargo. Usando máscara, ele ficou ao lado do ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, que também usava a proteção contra covid. 

Isolamento. Por causa dos casos de covid durante a viagem para participar da Assembleia-Geral da ONU, outros membros do governo também estão em isolamento. Queiroga nem chegou a voltar para o Brasil e cumpre quarentena em hotel na cidade americana. Bolsonaro cumpre o isolamento no Palácio da Alvorada.

Na live de quinta-feira, 23, o presidente Bolsonaro disse outras duas pessoas da comitiva que o acompanhou à Assembleia-Geral também testaram positivo para covid-19. "Certamente, eu sou uma delas. A outra não sei quem é", disse Eduardo ao site.

As orientações da Anvisa para que a comitiva - quem esteve com Queiroga - também cumprisse quarentena já se aplicavam a Eduardo Bolsonaro. Como mostrou o Estadão, o deputado teve papel central na definição do discurso ideológico do pai na ONU. 

Vacina

Em abril a ministra Tereza Cristina foi vacinada contra a covid-19 em Brasília. Na época, quando tomou a primeira dose do imunizante, escreveu que o governo “tem trabalhado para a imunização em massa dos brasileiros”. Eduardo tomou a primeira dose da vacina contra a covid-19 em 26 agosto e está com a segunda dose prevista para novembro, diz o portal R7.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.