Ministério Público Federal pede fim dos supersalários da Câmara

Procurador argumenta que a decisão do TRF de liberar salário foi equivocada

MARIÂNGELA GALLUCCI, Agência Estado

19 de setembro de 2011 | 19h07

O Ministério Público Federal pediu nesta segunda-feira, 19, a derrubada de uma decisão judicial que garante a servidores da Câmara dos Deputados o direito de receber salários acima do teto salarial do funcionalismo, que é de R$ 26,7 mil.

 

No recurso que será analisado pela Corte Especial do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª. Região, o procurador regional da República Marcus da Penha afirma que foi equivocada a decisão do presidente do TRF, Olindo Menezes, de permitir o pagamento dos supersalários. Em sua decisão, Menezes disse que o corte nos salários poderia comprometer o funcionamento dos serviços na Câmara.

 

"O presidente do TRF fixa uma premissa desprovida de demonstração, ao considerar que a ordem administrativa teria sido abalada", disse o procurador.

Mais conteúdo sobre:
MPFsupersaláriosCâmara

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.