Ministério Público denuncia Jefferson no caso dos Correios

v

Brasília, O Estadao de S.Paulo

12 de setembro de 2008 | 00h00

O Ministério Público Federal no Distrito Federal denunciou à Justiça o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) e mais sete funcionários da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) por formação de quadrilha e irregularidades que desencadearam o escândalo do mensalão. As investigações começaram com a divulgação das imagens de Maurício Marinho, na época chefe do Departamento de Compras e Contratações, recebendo em sua sala funcional dentro da ECT, a título de propina, R$ 3 mil reais. Os procuradores da República Bruno Acioli, Raquel Branquinho e José Alfredo de Paula concluíram que a ECT "foi vítima da ação organizada de quadrilhas compostas basicamente por empregados públicos, políticos, empresários e lobistas", segundo informou a assessoria de imprensa da procuradoria. Com base nos dados colhidos ao longo da apuração, os procuradores estimaram que o montante de propina recebido pelo grupo pode passar de R$ 5 milhões. Para o Ministério Público, o grupo se associou para arrecadar, de forma criminosa, verbas ilícitas para o PTB. Segundo as investigações, o esquema foi montado e capitaneado por Roberto Jefferson e teve início com a indicação política de um quadro do PTB para ocupar o cargo de diretor de Recursos Humanos, e, posteriormente, o cargo estratégico de diretor de Administração na ECT. Para os procuradores, o ex-deputado monitorava pessoalmente o desempenho dos petebistas na ECT que tinham a missão de arrecadar fundos para o partido. No organograma da suposta quadrilha, Maurício Marinho agia diretamente junto às empresas na formulação dos pedidos de propina. Além da arrecadação de recursos para o PTB e para os próprios denunciados, os procuradores do caso afirmam que ficou comprovado que membros da quadrilha solicitavam vantagem indevida para empresários, consistente em material de campanha e apoio financeiro para candidatos na campanha eleitoral de 2004. Roberto Jefferson e Maurício Marinho não foram localizados ontem pela reportagem. ESCÂNDALONa imagem que mostra Marinho recebendo o dinheiro, ele diz que Jefferson capitaneava o esquema. Acuado com as denúncias de comandar o loteamento de cargos nos Correios, Jefferson denunciou, em junho de 2005, o esquema do mensalão e envolveu dirigentes petistas e a alta cúpula do governo Lula, como o então ministro José Dirceu (Casa Civil).Em decorrência das denúncias e das que ele próprio fez - Jefferson admitiu ter recebido o mensalão -, o deputado foi o primeiro a ter o mandato cassado, em setembro de 2005. Dirceu e Pedro Corrêa, do PP, também foram cassados. Dos outros 15 acusados, 4 renunciaram e o restante foi absolvido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.