Ministério Público denuncia 48 por fraude em hospital de Sorocaba

Entre os denunciados estão 19 médicos e 7 empresários em esquema que fraudaria licitações e pagamentos de plantões nunca realizados

José Maria Tomazela, de O Estado de S.Paulo

17 de outubro de 2011 | 13h22

O Ministério Público Estadual e a Polícia Civil denunciaram 48 pessoas por envolvimento em supostas fraudes em licitações e pagamentos indevidos por plantões médicos no Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS). No inquérito, protocolado nesta segunda-feira, 17, no Fórum da cidade, foram denunciados 19 médicos e 7 empresários.

 

Entre os nomes apresentados pelo Ministério Público estão os quatro ex-diretores do hospital, Ricardo Salim, Sidney Abdalla, Antonio Carlos Nasi e Heitor Consani, e ainda o ex-secretário estadual de Esportes, Roberto Pagura, e o ex-coordenador de Hospitais do Estado, Ricardo Tardelli.

 

Apenas o esquema de plantões, em que os médicos recebiam e não compareciam, teria causado desvio de R$ 2 milhões. Mais de 70 mil pessoas doentes deixaram de ser atendidas e pelo menos um médico já foi denunciado por homicídio culposo, em razão da morte de um paciente na data do plantão. Já as fraudes em licitações deram um prejuízo já apurado de cerca de R$ 18 milhões. Os promotores acusam Salim de ser o chefe do esquema.

 

A denúncia será analisada pelo juiz Hugo Maranzano, da 3ª Vara Criminal. Os promotores darão continuidade às investigações, já que acreditam no envolvimento de outras 40 pessoas nas fraudes em licitações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.